Bolívia

22 a 27 de Setembro de 2013

LA PAZ

Saindo de Puno-Peru bem cedo, chego a Copacabana-fronteira  com Bolivia, pelas 12h00, saimos todos do autocarro e caminhamos para os procedimentos normais, migratórios e de aduana. Cruzar uma fronteira a pé tem sempre algo de especial pois estás caminhando até uma parte que é “terra de ninguém” e nem sempre as coisas se passam como esperamos, exemplo disso foi 1 colombiano que viajava comigo, que pelo facto de não ter a morada onde ia ficar na Bolivia, teve que sair do autocarro e regressar ao Perú a um lugar onde tivesse Internet para que pudesse resolver esse problema. Felizmente, nós europeus ainda temos a vantagem de ainda poder viajar por quase todo o lado com apenas o passaporte. Depois de passar a fronteira, trocamos de autocarro, para um bem menos confortavel, esperando-me ainda 3 horas de viagem até La Paz.

Antes de chegar a La Paz, entramos em El Alto, onde se situa  o aeroporto. Trata-se de um caos em movimento constante, vendedores por todo o lado, colectivos de vans sucessivos num caos de trânsito impressionante. A altitude aqui é de 4000 metros e é uma cidade constituída  maioritariamente por imigrantes do resto do país, na sua maioria das áreas rurais. Aqui o clima é frio durante todo o ano e mesmo no verão não passa os 17 graus. Baixando as montanhas, começo a ver a cidade de La Paz.

Situada a 3600 metros e altura, conta com 2 milhões de habitantes. Embora Sucre continue sendo legalmente a capital do país, o Governo tem a sua sede no departamento de La Paz.  Fico hospedado no Hostel La Republica por 60 Bolivianos, cerca de 5 euros, bem perto do centro histórico e da praça Murillo. Trata-se sem dúvida do país mais barato que viajei, onde uma viagem de autocarro de 900 km custa 8 €, comer no mercado local um bife panado com puré de batata, arroz e ovo estrelado acompanhado de um suco de ananás custa 1,20€ ..é de facto surreal… já sei…

Aproveito e faço o city tour da cidade de autocarro por …4 €, um recorrido de 2 horas por todos os lugares mais importantes da cidade. Tenho a oportunidade de ir a um dos lugares mais lindos, Valle de la Luna que tem o nome devido ás formações rochosas que se assemelham ao solo da lua.  Trata-se de um vale com um “tapete” de estalagmites que foi provocado pela erosão durante milhares anos. Ao fundo vejo um campo de Golf, algo raro por estas paragens, no entanto, é muito procurado por aficcionados por este desporto, pois devido á altitude a bola atinge distâncias muito mais longas e há muitos Golfistas que aqui vêm para levarem uma certificação que já jogaram no campo mais alto do mundo.

Agora entendo porque muitas das melhores seleções de futebol do mundo, quando vêm jogar à Bolivia têm imensas dificuldades em ganhar, pois correr nesta altitude é algo deveras difícil e a maioria dos locais já estão acostumados o que torna muito mais fácil para estes últimos.

Aproveito o meu último dia em La Paz, para ir a um centro arquelógico “Tiwanaku”, uma civilizacão que desconhecia por completo mas que teve um período A.C. e D.C. muito mais extenso que os Incas e os Maias. Situado a 70 km de La Paz, é considerada a cultura mais importante do período pré-colombiano da Bolívia e o seu nome foi dado pelos Incas quando chegaram à região. No final deste passeio, como pela primeira vez na vida carne de Lama, um animal parecido com a ovelha. O sabor apesar de diferente é comestível, mas certamente nao o irei repetir EHEHEH. Saio de La Paz rumo ao sul da Bolívia, Tarija, uma viagem de 18 horas de autocarro… a mais longa nesta viagem, no entanto em outra viagem anterior fiz uma bem mais longa…, 40 horas…, sim é verdade, quando saí de San SAlvador- El Salvador para Cancún – México, passando por Cidade da Guatemala, Tapachula e depos Cancún.

FOTOS DE EL ALTO E LA PAZ

TARIJA

Depois de 18 horas de autocarro chego a Tarija e vejo uma diferença enorme para La Paz. De facto, as pessoas, as paisagens, são diferentes, já não estou mais nos Andes mas sim na região Altiplana da Bolívia, onde inclusive existe producão de vinho local, o qual, claro está, tive o prazer de degustar, pois as saudades de um bom vinho tinto já eram algumas.

Tarija é uma cidade com 135 mil de habitantes no sul da Bolívia e fica a 1900 metros de altitude acima do nível do mar e diz-se que tem o melhor clima e é famosa pelas suas inúmeras vinhas. Após comversas com locais, constato que o Presidente Evo Morales aqui não é muito popular. Bolívia é actualmente um estado plurinacional, tendo em conta as suas cerca de 40 etnias indígenas onde se destacam os Aimaras e Quechuas. Depois de um referendo em que os habitantes de Tarija votaram a favor da autonomia do seu Estado, tendo em conta que 85 por cento do gás natural Boliviano está nesta província, o presidente rejeitou esse mesmo referendo conforme o que tinha passado igualmente com outros 3 departamentos da Bolívia -Santa Cruz, Beni e Prudo que igualmente sao maioria da oposicão.

Seguramente que Bolívia está entre as minhas próximas opcões de viagem, pois tive muito pouco tempo para o visitar, e possui uma diversidade cultural, natural e além disso é um país com um custo de vida onde facilmente se poderá estar mais de um mês sem muitos gastos.

FOTOS DE TARIJA

Categories: Uncategorized | Deixe o seu comentário

Perú

11 a 21 de Setembro de 2013

Itinerário : Lima-Cusco-Machu Picchu- Puno

LIMA

Depois de um voo de Cancun com escala no Panamá, chego ao aeroporto internacional de Lima.

As primeiras diferenças que sinto são de temperatura, já não estava acostumado a usar roupas para o frio, depois de 2 meses em Portugal com temperaturas médias de 25 graus e acostumado igualmente ao calor infernal de Cancun.

Tinha a morada da pessoa que me ia hospedar em Lima, Av. La Costanera, entre Escardo e La Paz, pego o taxi para sua casa, o taxista pergunta-me bem surpreso se eu ia mesmo ficar ali, pois o bairro em questão não era para turistas nem era dos mais famosos em termos de seguranca. Ligo para a Vivi e me diz que está noutra casa de amigos, dirigo-me para lá onde sou recebido com um sorriso contagiante por ela, sua amiga Cindy e outro Couchsurfer Mathias da Suiça.

Como forma de agradecimento trouxe para cathy uma garrafa de Mezcal, bebida típica Mexicana, a qual na primeira noite em conjunto com conversas, risos e partilhas de histórias de viagens ficou vazia. Nesta primeira noite experimento uma bebida típica Peruana, Pisco Sour, uma bebida feita com Pisco(aguardente de uva), sumo de limão, jarabe de goma, clara de ovo, gelo e canela.

No dia seguinte acordo bem cedo, e pego um autocarro para o centro por 1,5 soles ( Nuevo Sol é a moeda oficial, 1 € = 3,75 Soles) e vou em direcção ao centro histórico de Lima. Lima com 7,6 milhões de habitantes é uma capital um pouco caótica ao nível do trânsito, no entanto o seu centro histórico está muito bem organizado e com inúmeros monumentos dos quais posso destacar o Convento de São Francisco, Património da Unesco, o qual tive a oportunidade de visitar, bem como as diversas varandas das épocas coloniais e republicanas que conferem a Lima uma característica muito peculiar.

Na sexta-feira encontro-me com Francisco Gayoso que já tinha hospedado em Cancun, tendo ficado combinado um jogo de ténis no Perú, o que aconteceu. Francisco foi ao meu encontro a San Miguel com o seu carro e fomos jogar ténis num distrito de Lima muito diferente de tudo o resto – Miraflores. O resultado não interessa (ganhei pois claro EHEH), mas o convívio foi excelente pois após o jogo fomos almoçar um ceviche típico do Peru, trata-se de um prato de peixe ou marisco marinado em frutas cítricas como o limão e a lima.

Como gostei de Miraflores decido ficar hospedado num Hostal mesmo no centro, perto do Parque Kennedy, onde fico 2 dias e aproveito para descobrir o malecón de Miraflores e Barranco, este último, outro distrito de Lima, ainda contendo vestígios de ocupação maioritariamente de pescadores, onde se sente uma atmosfera descontraída e onde o Surf é um dos desportos mais vistos.

Na Sexta-feira decido ir a um encontro CS (Couchsurfing) chamado Limabel, trata-se de um intercambio de idiomas com locais e estrangeiros a viajar na cidade. Conheço alguns locais que falam bem português e inclusive um desses peruanos, Nelson Cruz, com excelentes conhecimentos da cultura portuguesa e de algumas das diferenças do português de Portugal e do Brasil, facto que me impressiona, pois é das poucas pessoas que me fala de Mariza, Fado, Amália Rodrigues, etc.

FOTOS DE LIMA E ARREDORES

CUSCO e MACHU PICCHU

Eu e Mathias, o CSer que conheci em Lima originário da Suiça, decidimos ir juntos a Cusco e voamos na Segunda-Feira.

Cusco é uma das cidades mais importantes do Perú com 300.000 habitantes e que está situada no Sudeste do Vale Sagrado dos Incas, na região dos Andes com uma altitude de 3400 metros. Cusco foi igualmente o mais importante centro administrativo e cultural do Império Inca.

Chegando a Cusco sinto umas súbitas dores de cabeça bem fortes, respiração mais curta e náuseas, tudo derivado da altitude.

Para me ir habituando fui tomando e mascando folhas de coca que ajudam a minimizar os efeitos da altitude pois eram utlizados pelos andinos como estimulante e também para controlar as sensações de sede, fome e frio. Neste primeiro dia fico hospedado com meu companheiro de viagem Mathias num Hostel por 15 soles cada um, ou seja, 4, 5 € por noite a apenas 2 quadras da plaza de armas, a praça principal de Cusco.

Aproveitamos para ir ao Mercado local onde entramos numa taberna típica onde os únicos estrangeiros somos nós e tomamos uma cerveja,  de marca Cusquenha, isto sim é o que me faz viajar, estar com os locais nos locais onde só eles estão!!

No segundo dia levanto-me cedo e faço o city tour da cidade, onde tenho a oportunidade de ir ao Cristo Branco, onde obtenho um panorama da cidade excelente. No terceiro dia, ao contrário do meu companheiro de viagem que se deita às 6 da manha, eu prefiro acordar a essa hora e aproveitar os raios de sol e explorar o Vale Sagrado. Decido ir por minha conta a Pisaq, um dos locais arquelógicos mais importantes do Vale Sagrado dos Incas.

Ao quarto dia estava reservado o auge da viagem, a cereja sobre o bolo, que não era mais do que a subida ao Machu Picchu. Depois de alguma pesquisa eu e Mathias decidimos fazer o tour misto con Van e caminhada, 2 dias 1 noite ficando hospedados em Águas Calientes ou Machu Picchu Pueblo. Depois de 7 horas de Van fico ao lado de uma espanhola e um Australiano, onde as estradas são esculpidas nas montanhas e onde a vista para além de incrível é tremendamente assustadora, finalmente chegamos a Central Termoeléctrica.

Daí espera-nos uma caminhada de 2 a 3 horas até Machu Picchu Pueblo. Começamos a caminhada de dia, eu Mathias, as duas espanholas e o Australiano, no entanto, passado uma hora escurece e nao se consegue ver um palmo á frente, entretanto perco os meus companheiros de viagem mas isso nao me afecta, pois de imediato encontro um polaco que tinha uma lanterna no capacete e juntos fazemos o restante caminho. Sente-se algo especial por aqui, uma energia contagiante, um contacto real com a natureza e com os antepassados e os limites do cansaço deixam de existir quando ao longe avistamos vestígios de civilização . Os únicos ruídos que se escutam são as nossas conversas esporádicas sobre Polónia, Portugal e os propósitos de cada um nas viagens que fazemos. Chegando a Machu Pichu Pueblo somos acomodados no mesmo Hostal eu Mathias e o Australiano que depois da caminhada segue conosco para todo o lado, tornando-se no nosso novo companheiro de viagem.

Depois de 7 horas de Van, 2.5 horas de caminhada, jantamos juntos coms 3 Israelitas que fizeram a viagem conosco e que rapidamente integram a boa vibra do grupo, mesmo apesar das dificuldades que tem em falar espanhol ou inglês. Estas 3 Israelitas com idades entre 21 e 22 anos estavam viajando pela América do Sul por 5 meses após terem cumprido 2 anos de serviço militar obrigatório, sendo que para homens é de 3 anos. Das nacionalidades que mais encontro a viajar por largos períodos são Australianos e Israelitas, curiosamente sou sempre o primeiro Português que conhecem, por brincadeira digo que somos cerca de 10,5 milhões por isso ainda falta conhecer alguns HEHEHE!!!

No dia seguinte acordamos às 3h30 da madrugada para iniciar uma caminhada a pique de cerca de 7 km, poderia ter optado pelo minibus que levaria cerca de 30 min e subiria em zigzagues pela montanha, no entanto opto por fazer a caminhada que me durou cerca de 1 h e 10 min, aproveitando para ver o deslumbrante pôr do sol no meio da montanha.  Apesar de não estar fisicamente a 100% cheguei ao cume da montanha desgastado, mas com a sensacão gratificante de ter diante de mim uma das 7 maravilhas do mundo e de ter feito um enorme esforo para o alcançar.

Machu Picchu é também chamada a cidade perdida dos Incas. Está situada a 2400 metros de altitude. A vista que obtenho ao chegar é deslumbrante e ás 6 da manha o sol ainda está ténue e há relativamente poucas pessoas o que permite disfrutar do lugar na sua quase plenitude. O concretizar de mais um sonho foi feito e sinto-me grato a Deus e à minha família e amigos por ter a oportunidade de poder presenciar tamanha beleza e pòder compartilhar com vocês.

Depois de inúmeros antropólogos e historiadores de diferentes nacionalidades terem tentado descobrir a cidade perdida dos  Incas, foi o Prof. Hiran Bingham da Univ. de Yale que redescobriu e apresentou ao mundo Machu Picchu em 24 de Julho de 1911.

Enquanto inspeccionava as ruínas, Bingham assombrado escreveu no seu diário “Would anyone believe what i found?” (Acreditará alguém no que encontrei?)

Depois de 2 horas com explicacão por um guia, temos outras 2 horas para explorar o sítio arquelógico, decido fazê-lo em conjunto com outro companheiro de viagem, Diego, Argentino de Rosário, a cidade do Messi. Para chegar de novo á Central Termoeléctrica, pegamos um trem de aproximadamente 1 hora e depois mais 8 horas de caminho até Cusco nos esperam. Pensava ir nesse dia directo á Bolívia, no entanto, todo o cansaço acumulado das caminhadas e viagens de Van, fazem-me optar por ir no dia seguinte para uma outra cidade Peruana a 7 horas de distancia chamada Puno.

FOTOS DE CUSCO MACHU PICCHU E PISAQ

PUNO

Puno é uma provincia e cidade no Sul do Perú e que está situada ás margens do lago Titicaca. Este lago não é importante só por ser o lago navegável com mais altura do mundo  mas também devido á mitologia andina, pois segundo a lenda, das suas águas emergiram Manco Cápac e Mama Ocllo, filhos do Deus Sol e fundadores do Império Inca. A Bolívia e o Perú compartilham a soberania deste lago localizado a 3810 metros sobre o nível do mar.

Categories: Uncategorized | 2 Comentários

Cuba – La Havana – 29 de Marco a 10 de Abril 2012

Saio de El Salvador dia 25 de Marco pelas 06H00 e depois de mais de 40 horas de autocarro chego dia 27 pelas 07H00 a Cancun – México. Fico de novo em casa de José que já havia ficado quando vim directo de Brux elas para cá. O corpo ressentiu-se de tao longa viagem mas a motivacao para a viagem a Cuba era imensa. Chego a Havana pelas 18H00 onde troco Pesos Mexicanos por CUC ( A moeda para o estrangeiro) pois o local usa o peso Cubano. Uma economía paralela onde o governo local lucra com o turismo e com a moeda criada para o efeito e com o intuito igual de abolir com os dolares americanos que circulavam em massa.

Chego a casa de Ania, um dos únicos Hostels em Centro Havana e a recepcao calorosa de Ana e seu marido é contngiante. Conheco de imediato outros viajantes “mochileiros” de toda a parte do mundo, nao é bem o que procuro pois prefiro ficar mais com os locais mas os precos carissimos das habitacoes em toda a Ilha assim o obrigam.

Sexta-Feira acordo pelas 07H30 e parto á descoberta ansioso de conhecer a história e presenciar in loco ás inumeras manifestacoes iconográficas alusivas a José marti, Che Guevara e Fidel Castro. Chego á praca da Revolucao onde há 2 dias havia estado  o Papa Bento XVI – Ratzinger.  A primeira coisa que notei ao entrar Praça foi o tamanho da mesma.  Facilmente pude imaginar Fidel Castro dirigindo-seás massas sendo que esta Praca é realmente uma das praças maior cidade e do mundo. Embora o nome de “Praça da Revolução” esteja ligado a Fidel Castro e á sua revolução, a praça foi realmente construída durante o regime de autorização prévia pelo presidente Fulgencio Batista. Foi originalmente chamada “Praça Cívica” e rebatizada de “Praça da Revolução” só depois de Fidel Castro tomou o poder. Pode-se observar monumentos e homenagens a José marti, Errnesto Che Guevara e Camilo Cienfuegos, o homem de Fidel Castro.

Para a maioria dos habitantes de Havana, Havana é Cuba, uma metrópole cosmopolita, enérgica que faz parecer com que as restantes ciudades do arquipélago sejam apenas mais umas. Reconheciuda mundialmente pela sua musicalidade, hospitalidade, jovvialidade e orgulho local, os Habaneros sao sobreviventes e a sua enorme sede e vontade de viver é enorme mesmo a pesar dqas inúmeras lutas históricas, crises económicas e algumas catástrofes naturais. A pesar dos cerca de 45 anos de embargo ao exterior, Havana continua uma cidade “old fashioned” onde cada vizinhoi ajuda o próximo, criancas jogam pelota (basebal) nas ruas, pessoas de idade jogam dominó á porta de casa e onde os automóveis de anos 40 a 60 circulam de uma forma envolvente. Depois de trodo o dia a caminar, conheco Felipe e outros 2 vendedores de Legumes e Frutas no Parque dos Mártires, once sou convidado para uma cerveja e onde me contam algumas das curiosidades que nao sabia totalmente sobre este Pais Socialista-Comunista.  A Felipe  já lhe tinha sido recusado por 3 vezes a saída do país, mesmo com convites concretos de empresas Internacionais. Aos Cubanos nao lhes {e permitido sair do país sem autorizacao prévia e com carta de invitacao e mesmo desse modo a maioria das vezes  é recusado. Aos Cubanos nao lhes é permitido recber qualquer estrangeiro em casa sem uma autorizacao governamental para o efeito, daí que o Couhsurfer nao funcionar na vertente de acomodacao, funcionando meramente na vertente de interajuda local – coffee or a drink.

Pela tarde sentado no parque dos Mártires conheco Belém, uma senhora de meia-idade (48 anos) e depois de alguma conversa agradável convida-me a sua casa para conhecer a sua familia, sua irma, sobrinha, sobrinho e filha da sobrinha. Que experiencia…tomo um sumo de tamarindo, danco salsa e converso com esta familia humilde mas com uma enorme abertura de coracao. Oferece-me para ficar em sua casa a pagar metade do que eu pagava no hostel, aceito de imediato pois sinto que iria ficar com pessoas locais que é o que procuro quando viajo, de forma a sentir a autenticidade no seu todo, Apesar de nao puder faze-lo pois nao tem licenca arrisca.

De noite saio e conheco Ronaldo, um joven de 26 anos com uma filha de 1 ano e que me leva a conhecer a noite de havana por bairros e locais onde turistas nao se encontram, lugares escuros, obscuros mas deveras autenticos.  Música nao falta em Havana e a diversidade é enorme desde os ritmos de Salsa, Mambo, Cumbia, Rumba, Reggaeton…todos ritmos latinos que me fascinam.Sábado acordo cedo e mais uma caminhada diária de 4 a 6 horas. Exploro o Município do Vedado, um distrito comercial. Foi nesta parte da cidade que nos anos 40 e 50 atingiu-se o climax do jogo (casinos)e da Máfia onde Al Capone era um dos protagonistas. Depois de uma caminhada no Malecon, uma calcada de 8 km que contorna toda a cidade como uma fortaleza. O Malécon continua ainda a ser o mais autentico teatro ao ar livre, um local onde toda a cidade se encontra, se cumprimenta, namora e debate . E assim ao som de Buena Vista Social Club – “Hasta Siempre Comandante”, deitado, a assistir o por do sol escrevo estas linhas. Domingo saio para a Praia com o filho de Reinalda na qual me encontro alojado. Rey é um joven de 17 anos que estuda e trabalha como mecanico numa oficina de automóveis. Vamos para uma das praias de Leste, Mar Azul. Aguas cristalinas e paisagens únicas sao um regalo á minha  vista. Entretanto conheco uma Canadiana que a apresento a Rey e apesar das enormes barreiras linguísticas entre os dois, ajudo-os no ínicio, mas depois deixo que a mímica e a linguagem do amor funcione…e funcionou mesmo ehhehe. Em casa de Belém, Reinalda, Yadira, Reina e a pequena Cláudia encontro um ambiente familiar único onde me tratam como familia, tomando o pequeno-almoco e muitas vezes jantando com eles sem nada disso estar incluído no reduzido preco que pago diariamente. Retribuo a generosidade e convido de novo Reynaldo e Yadira para a Praia. A última vez que tinham ido á Praia tinha sido no Verao pasado. Uma ida á Praia para um Cubano implica um gasto enorme e difícil de suportar. Entretanto Joana e Lucia do Canadá juntam-se de novo a nós na Praia e comecam a fazer parte dos seroes em casa desta familia Cubana fantástica.

Depois de 6 dias nesta familia e de inúmeras conversas, sinto que o sistema socialista de Fidel nao é bem aceite pelos cubanos, que se queixam demasiado em relacao ao mesmo, nao impedindo, no entanto de serem um povo sempre com uma enorme alegria de viver e uma atitude perante a vida incrível. Um salário mensal de um cubano é de 20 CUC, cerca de 15 € mensais, podendo algumas profissoes como médicos e engenheiros auferir 25 CUC, cerca de 20 €. Apesar da educacao, alimentacao e alguma comida gratuita, estes salarios nao sao o suficiente para que se possa viver com um patamar de qualidade adequado. Lembro-me de Belém me dizer que por vezes para comprar um par de calcas tem que trabalhar 6 meses para poder poupar o suficiente para o efeito.  Alguns factos que desconhecia em relacao ao que se passa em Cuba:

  • Os Cubanos nao estao autorizados a sair do país, mesmo que tenham uma carta convite de outro país e empresa com trabalho assegurado, nem sempre o governo aprova esta saída;
  • A policía local protege o turista de uma forma ostensiva e muitas das vezes que um turista conversa com um local e a policía desconfie que é para “sacar” dinheiro ao  mesmo, sao de imediato detidos;
  • Cada familia em Cuba tem direito por cabeca do agregado familiar a alguns bens alimenticios tais como arroz, feijao, leite, acucar, sal;
  • O Couchsurfer nao é permitido em Cuba nomeadamente na vertente de alojamento, pois um local nao pode receber unm estrangeiro em sua casa sem uma autorizacao prévia do governa e o pagamento de uma taxa ao estado.
  • Mais de 60% dos Hoteis, Agencias de Viagens e Empresas de transportes de Cuba sao estatais, daí que os precos nao oscilem de uma para outra;
  • A internet para os Cubanos é restrita e o servico limitado aos Hotéis de 4 a 5 estrelas onde é cobrado 10 CUC por hora cerca de 8 € hora; A maioria dos Cubanos nao faz ideia o que é o Facebook, E-mail, etc;
  • Para os Cubanos existe únicamente acessível um servico de Mail – “correodecuba” que permite apenas e únicamente o envio de email. Nestes poucos locais  existe a maioria das vezes filas de espera intermináveis;
  • A melhor moeda a ser trocada em Cuba é o Euro e o Dólar Canadiano, O Dólar Americano está sujeita a uma taxa de 20%;
  • O visa para Cuba nao é carimbado no passaporte, mas sim num documento á parte que depois deberá ser entregue quando se sai do país; Quando se entra e se sai do país tem que se pagar cerca de 20 euros;

Sábado, Lázaro, o vendedor de frutas e legumes que conhecera no inicio da semana e com o qual pasar diariamente uns momentos de conversa, riso e muito Rum ehhehe, convida-me para sua casa para almocar junto com a sua mulher, filos e amigos. Uma cas humilde onde todos comemos na única divisao da casa , o quarto. De noite encontro-me com um Couchsurfer, Jesus, realizador cinematográfico que me convida para a festa privada de encerramento do festival de realizadores jovens que acabara de terminar. Entretanto conhecera igualmente outra Couchsurfer, Indira e sua irma Irina, que me mostraram um show de uma artista local num ambiente típico cubano onde seguramente o único “turista” era mesmo eu. Indira é uma das poucas priviligiadas de Cuba com acesso ilimitado á Internet no trabalho, o facto de ser Engenheira Informáticas assim o permite.Uma Cubana diferente de muitas outras, inteligente, lindissima. Aliás em Cuba pode-se fácilmente contemplar das mulheres mais lindas de todo o mundo…

Categories: Uncategorized, Viagem 2012 | Deixe o seu comentário

El Salvador 16 a 25 de Marco

Saio de San Pedro La Laguna – Guatemala em direccao a El Salvador à capital San Salvador. A passagem na fronteira é sempre um filme, pessoal a oferecer troca de divisas mas de uma forma pouco lícita e confusa, filas nos postos de emigracao, e sempre um controlo apertado devido a ser um ponto de passagem de muita da droga consumida nos Estados Unidos.

Depois de 6 horas de viagem chego a San Salvador pelas 8 da noite onde esperei a minha host Couchsurfer Krissia. El Salvador é um país com 6.200.000 de habitantes e que devido á sua pequena extensao territorial tem uma densidade populacional mais elevada de toda a América Central. Uma guerra civil de 12 anos, cujo custo humano chegou a aproximadamente 75.000 vidas, finalizou em 16 de enero de 1992, quando o governo e a guerrilha firmaram os Acordos de Paz que deram lugar a reformas militares, sociais e políticas. Muito ainda se fala da violencia organizada no país nomeadamente da MARA, no entanto, como em todo o lado do mundo ter cuidado é sempre algo que deverá estar presente..se vos disser que em toda a minha vida apenas me tentaram roubar em….Portugal em Lisboa…e já tive em países bem mais perigosos…todo o cuidado é pouco em todo o lado.

Krissia chegou pelas 8 da noite num carro muito peculiar hehehe, o carro era conduzido por um jovem Toni the Tiger hehe e estavam igualmente uma Americana e outro El Salvadorenho. Krissia é uma jovem de 27 anos bonita, inteligente e super afável, que me recebeu com todo o coracao, assim como a outras duas CSers que ficaram em sua casa, Marina de Franca e outra Alema. Sábado e Domingo foi dedicado a conhecer o centro histórico da cidade, os monumentos principais incluindo a puerta del Diablo com uma história de amor incrível e que permite uma vista panoramica da zona costeira e da cidade e lago de El Salvador. Domingo eu Krissia e Marina fomos fazer um pic-nic num dos parques da cidade e de seguida um passeio á esplendorosa cidade de Santa Tecla.

De Segunda a Sábado planeara ir para El Tunco, um dos melhores spots do mundo para Surfar, aperfeicoar o Surf que aprendera em Puerto Escondido – México. Tenho 2 aulas privadas com profesor e outras vezes  alugo uma prancha e tento por mim próprio surfar nas potentes ondas da costa El Salvadorenha, no entanto a imensa forca do mar e o tamanho das ondas nao me permitem ter o mesmo sucesso que tive no México e nem todas as vezes copnsegui me colocar em p{e na prancha.

Fico num Hostel cerca da Praia onde conheco camaradas do Canadá e Irlanda. Mesmo do lado do Hostel ficavam 4 brasileiros de Florianópolis que no final da semana já me convidavam para ir visita-los..e certamente que o farei depois da descricao que fizeram da mesma.

Entretanto encontrara de novo as 2 espanholas e os 3 Austriacos que havera conehcido 1 mes antes na Guatemala na magnifica “Casa Argentina”. Muita festa, comida, bebida nos reuniu diariamente entre sons de guitarra, canticos e dancas…o mar era um mero acompanhante de luxo que nos unia neste ambiente único de festa e Surf.

Entretanto no fim de semana, Krissia, a  minha host na capital do país, Marina a francesa e outro Ingles juntam-se a mim no mesmo Hostel e no mesmo quarto e passamos um fim de semana de bastante loucura..apenas ficando na minha memoria…El Salvador é provavelmente o país onde mais calor sentí todos os días, ficando por vezes deveras difícil de dormir tal a elevada temperatura que devera rondar os 35 a 38 graus centígrados.

Categories: Uncategorized, Viagem 2012 | Deixe o seu comentário

Guatemala 28 Fevereiro a 14 de Marco de 2012

Mais uma semana passada em Quetzaltenango-Xela, adoro a cidade, sinto-me bem, like home, depois de 10 dias em casa de Philip, Couchsurfer, decido mudar para uma casa de familia, Casa Argentina onde tenho um quarto particular, cozinha e casa de banho partilhada e pago…20 € por semana, sim por semana…Dedico a semana a rotinas saudaveis e altruistas. (Gajolas…always  positive )

De Segunda a Quinta faco Yoga pelas 06H50 da manha (4 € por semana) e de tarde pelas 18H00 tenho aulas de salsa colectivas (14 € por semana)…4 tardes por semana faco o trabalho de voluntariado, sinto-me com mais energia que nunca, fazendo actividades que jamais tive tempo de as fazer e que me transmitem uma enorme paz de espirito..No Albergue onde desempenho o trabalho de voluntariado sou surpreendido com um presente, um recorte de uma revista de alguem supostamente parecido comigo e outro com o do meu colega Gustavo e uma mensagem de Carinho, ” Para o Prof. Ric e Gustavo com carinho”.Gratificante demais poder ajudar estas criancas e maes adoelescentes..ha coisas na vida que nao tem explicacao, dar de nos aos outros…partilhar o que temos com outros, sentindo que estamos a fazer bem…so vivendo mesmo…Entre os meus tempos livres, delicio-me a apanhar os raios de sol no parque central e a ler o livro que aluguei de  Charles Bukowski, Women, uma leitura cativante e que me prende facilmente, onde Chinaski, o protagonista relata as suas inumeras relacoes de uma forma directa e incisiva.

No Fim de semana, sigo em direccao a praia, ja sentia saudades da praia e de comer peixe o que aconteceu….vou a Puerto de San Jose com a minha amiga CS Elsy…, uma praia na costa pacifica da Guatemala de areia escura e de origem vulcanica. Uma praia suja, o que penso ser de razao cultural, pois muitas vezes vejo nas camionetas pessoas atirando lixo pela janela fora de uma forma natural, sinto uma enorme lacuna a nivel de consciencia ambiental, no entanto, esta consciencia esta directamente ligada ao grau de educacao das pessoas.

Segunda-Feira chego de novo a Xela para mais uma semana de voluntariado, salsa e Yoga e alguma festa claro está…Na Quinta-Feira faco uma actividade no Albergue, ensino os passos básicos de Salsa que também recentemente os aprendera. A aderencia foi geral por parte das mulheres e criancas, no entanto, devido a nao ser fácil alguns desistiram a meio, no entanto, os que foram até ao fim aprenderam bem e fiquei orgulhoso desse facto. Neste dia comuniquei que no dia seguinte seria o meu último dia tendo estes me perguntado mas porquê Prof.Ric…nao pode ficar mais uns tempos…senti que ia ser dificil para mim e para eles, pois criamos uma ligacao estreita.

Fico feliz em saber que a coordenadora gostou muito do meu desempenho e que foi muito bom que estas jovens e criancas tenham contactos com pessoas do sexo masculino para que percebam que nao existem só pessoas más…A despedida foi sentida e comoveu-me, depois de uma última actividade desenvolvida por mim e pelo meu amigo Gustavo, fizemos uma mini-horta onde plantamos espinafres, tomates e rábanos. Xela..está a chegar ao fim…os meus meninos e meninas também, sinto alguma nostalgia e tristeza..mas a vida é isso mesmo…

Segunda sigo viagem…o capítulo Xela chega ao fim, pelo menos nesta viagem, mas estou convicto que o regresso é inevitável, criei lacos e amizade, deixei as “minhas criancas  e maes adolescentes” que quero voltar a ve-los e uma grande admiracao e carinho por esta cidade fantástica.

Chego finalmente a um dos pontos altos da Guatemala, o Lago Atitlan, é um dos atractivos turísticos da Guatemala mais visitados. Rodeado de tres vulcoes, Atitlán, Tolimán e San Pedro, oferece uma paisagem assombrosa, o que converte este numa joia natural que agrada a milhares  de viajantes que decidem ficar a viver nas vilas que se encontram ao redor.

Opto pela Vila de San Pedro La Laguna, uma vila hippie, descontraída, ideal para o descanso, relax ou entao andar de festa em festa. Muitas dos estrangeiros optam por viver na vila 6 meses ao ano pelo sua tranquilidade, seguranca e também pelos seus precos baratos (Paguei 2.5 € por dia em quarto privado mesmo nas margens do lago)..Mais uma vez tenho uma nova experiencia na minha vida…Montar a Cavalo..Saio pelas 09H00 em direccao ao Vulcao San Pedro, no primeiro contacto com o cavalo demonstro um pouco de apreensao, mas depois de 10 minutos já tenho confianca suficiente para controlar o mesmo e inclusive para o fazer andar mais depressa…A experiencia é positiva e a vista magistral..mas gosto pouco de ver os animais a sofrer e sinto que estou a magoá-lo com o meu peso…talvez seja psicológico..mas certamente nao será experiencia a repetir muito mais vezes…

Depois de 33 dias na Guatemala…apesar de apenas ter conhecido Xela, Mazatenango, Zunil, Fuentes Georginas, Antigua, Guatemala City, Puerto de San Jose e San Pedro La Laguna..sinto que este país é uma jóia por explorar e quero certamente voltar e conhecer outras partes do mesmo…

Categories: Uncategorized, Viagem 2012 | 3 Comentários

Guatemala – 13 a 27 de Fevereiro

Saímos de Puerto Escondido – México em direccao á cidade de Quetzaltenango também conhecida por Xela, a segunda cidade mais importante da Guatemala. Depois de 15 horas de transportes terrestres chego á fronteira com o meu amigo Faustino. Uma propina de 20 dólares é encessário para sair do México. Atravessamos a ponte que separa os 2 países, pela primeira vez na vida sinto que estou naquela parte do mundo que é terra de ninguém…

A primeira cidade que chego na Guatemala é Ciudad TecunUman, a realidade é diversa do México, um país mais pobre, menos desenvolvido, mais sujo, mas sinto que as pessoas sao de igual modo amáveis.

Chegamos finalmente a Xela, uma cidade com cerca de 300 mil habitantessendo 65% indígena, 32% mestica ou ladina e o restante europeu. Esta cidade encontra-se a uma altitude de 2357 metros acima do nível do mar. Aquí de novo despeco-me de Faustino pois iríamos ficar em Couchsurfers diferentes e eu iria passar cerca de 4 semanas para desenvolver o trabalho de voluntário que me havia proposto inicialmente. Chego a casa de Philip, o meu host emXela, um americano de St. Louis que vivía há 4 anos na cidade. Vivia há cerca de 1 mes com uma jovem indígena há qual lhe pagava um salário mensal em troca de limpeza da sua casa, com a condicao desta ir á escola para aprender espanhol.

Philip já me tinha dito que Ana nao simpatizava muito com Couchsurfers do sexo masculino pois no passado algo de mal se passou com ela e com uma figura masculina. Depois de alguns días de convivencia juntos e apesar de uma resistencia inicial, sinto que Ana gosta de mim, converso muito com ela, ajudo-a nos trabalhos e ensino-a a cozinhar até que a sua reaccao é de tal forma próxima que me abraca e partilha muitas coisas comigo que com outros jamais o fizera.

Comeco o trabalho naAssociacion Nuevos Horizontes, opto por faze-lo no albergue em detrimento da guardería, pois neste último as criancas apenas iriam lá passar os seus tempos livres tendo a familia trabalhando, enquanto que o albergue é um local de estadia temporal para mulheres e criancas que saíram de uma situacao de violencia familiar ou de outras situacoes dificeis, necessitando de um lugar para ficarem enquanto nao encontram um novo rumo e uma nova casa. Muitas destas mulheres tem entre 12 e 15 anos e játemfilhos a cargo que estao com elas no albergue.

O meu trabalho de voluntário resume-se no auxilio nas tarefas escolares, ensino de Ingles, e semanalmente desenvolvo uma actividade lúdico/pedagógica com os mesmos. Cada vez que me ausento mais de 2 – 3 dias sintou ma enorme saudade dos mesmos e sinto que cada vez que chego ao albergue há criancas que correm para mim, chamando de Prof. Ric. Eheh e querem de imediato a minha atencao.

Partilho durante 11 dias a casa de Philip com Fiona, Inglesa de 29 anos que viajava há 4 meses e planeava o regresso para Novembro. Num desses días eu e Fiona vamos ás Fontes Georginas, que tal como o nome indica sao fontes que provem do vulcao Zunil e que aquece a agua, esta sai fervendo havendo piscinas em que nao se consegue mesmo entrar pela intensidade do calor.

Quinta – Feira dia 23 fazemos uma festa de angariacao de fundos para a Associacao que trabalho, fico responsavel pelo Bar e por servir uns shots de Tequillas, Fiona, Jana a chinita e Javier o brasuca aparecem na companhia de Ana e a diversao foi umarealidade.

Aproveito o fim de semana para viajar pelos arredores, Sexta parto em direccao a Antigua a antiga capital da Guatemala e Patrimonio Cultural da Humanidade é reconhecida pela sua bem preservada arquitectura renascentista espanhola e com fachadas barrocas do Novo Mundo. Sinceramente nao gostei da atmosfera, demasiados turistas que para mim ofuscam de algum modo a verdadeira essencia de uma cidade Guatemalteca.

Sábado apanho de novo o Chicken Bus agora para Guatemala City, onde poucos turistas vao por ser umacidade perigosa e com uma elevada taxa de homicidios. Tenho sorte na Couchsurfer que me hospeda,  encontro-me com ela no Zoológico onde  na companhia do seu irmao, cunhada e sobrinhos passamos uma manha bastante agradável.

Categories: Uncategorized, Viagem 2012 | 2 Comentários

Oaxaca e Puerto Escondido – 29-01-2012 a 12-02-2012

29-01-2012 Domingo

Depois de 12 horas de viagem chego finalmente a Oaxaca, apesar da qualidade dos autocarros o corpo ressente-se sempre um pouco. Chego as 06H00 da manha e sigo as indicacoes do Omar, o meu host na cidade e chego a sua casa. Aproveito para dormir um pouco mais, finalmente numa cama. Omar vive numa casa de dois pisos, sendo que o rés-do-chao é uma mercearia dos seus pais e onde estes últimos vivem, e no piso de cima vive Omar com os seus dois caes super activos, um Cocker Spaniel e um Chiwuawa.

Oaxaca é uma das ciudades mais bonitas e vibrantes de todo o México. Uma cidade colonial adorável com uma praca principal rodeada de árvores, El Zócalo e com a melhor gastronomia de todo o México.

Saímos em direccao ao centro onde nos encontramos com uma canadiana, Robin. Tenho a oportunidade de observar um desfile cultural com dancas e cantares locais, onde as cores dos trajes sao de uma beleza enorme. Vamos juntos ao mercado onde sempre tenho o prazer de sentir e observar os odores, as cores e todas as iguarias locais. Uma dessa iguarias, gafanhotos assados…depois de alguma resistencia inicial, provo-os mas apenas consigo comer 2 deles, já comi coisas piores mas o factor psicológico asociado ao que ingiro ainda fala mais alto.

Passamos os 3 um excelente dia de Domingo, cheio de muitas e diversas comidas, desde gelados, milho assado, tacos, doces típicos, etc. Omar vivera 10 anos nos USA e havia regressado para estar mais perto dos pais visto que as suas 2 irmas tal como ele, tinham saído muito novos para esse país mas se regressassem muito provavelmente já nao poderiam regressar de novo, pois seriam considerados como ilegais, isto tudo apesar de terem filhos nascidos no pais e de trabalharem lá há mais de 15 anos.

 30-01-2012 Segunda

 Acordo pela manha e desco para o primeiro andar e compro alimentos para o pequeno-almoco na mercearia dos pais de Omar. Seu Pai de 59 anos dá-me sugestoes do que fazer e visitar na cidade. Sinto pela conversa que os pais de Omar sentem uma mágoa enorme de nao acompanharem os netos e filhos de perto, pois para um Mexicano ir aos USA necessita de um visto e este é deveras complicado de obter. Dessa forma apenas podem estar com os netos quando estes já tem uma idade avancada que lhes permita sair dos USA e vir ao México ver os avós. Pelas 17H00 inicio as minhas aulas de Salsa com mais outros 3 iniciantes, adoro a aprendizagem, sinto ainda que nao ira ser fácil e nao é algo que me sai de uma forma natural, mas como sempre nao desisto, persisto.Pela noite encontro-me com Carol, Couchsurfer e  2 Americanos, 1 Francesa. Num ambiente agradável ficamos umas horas a partilhar histórias de vida e de viagens.

 31-01-2012 Terca

Depois de ter combinado aulas privadas com o profesor de Salsa, acordó cedo e com uma enorme vontade de aprender encontró-me com Robin do Canadá que seria nessa manha o meu par na clase. Sinto-me mais confortável com os passo iniciais, eu e Robin disfrutamos bastantes da aula de Enrico, um Americano radicado em Oaxaca há alguns anos e que a sua escola de Salsa, está no top 5 mundial. A música hoje chamada “Salsa” é uma mescla de ritmos afro-caribenhos, tais como o Son Montuno, o Mambo, o Cha cha cha, a Charanga e a Rumba cubana. A Salsa Surgiu para o mundo através da BandaLa Sonora Matanceira, com suas excursões musicais pela América Latina, levando músicas e dança típicas de Cubana para o mundo.

Tenho o prazer de comer ao almoco uma planta que jamais pensei faze-lo. Cacto…sim Cacto.., Depois de tirados os espinhos é cozido e depois marinado num molho á base de especiairias locais e limao, chegando ao prato similar aos nossos pimentos verdes, mas com um sabor mais exótico e apurado.

Pela Noite vou com Omar e 4 dos seus amigo(a)s para um Bar e num ambiente relaxado bebemos umas cervejas e provo uma bebida típica da cidade, Mezcal, uma bebida alcoólica destilada a partir do sumo fermentado do agave. O Mezcal diferencia-se da tequilla por ser uma bebida mais rústica, sendo em geral destilada apenas umas vez, contra duas ou tres da tequilla.

 01-02-2012 Quarta

Mais uma manha dedicada á Salsa com aulas privadas de manha e colectivas de tarde. Saio da aula contente por de alguma forma já estar a interiorizar bem os passos principais e alguns um pouco mais complicados também, no entanto, tenho a nocao que se nao praticar…difícil continuará a ser. Pelo meio do dia encontro-me com Maureen da Flórida, também do projecto do Couchsurfing e almocamos juntos. Tal como eu viajava pelo México e gostou tanto da cidade que acabara de alugar um quarto na cidade para ficar uns meses. A conversa é bastante produtiva e interessante e combino com ela ser o meu par na Salsa do dia seguinte pela manha.

 De 02-02-2012 Quinta a 05-02-2012 Domingo

Hoje com Maureen como meu par de danca tenho de novo aulas de salsa onde cada dia que passa me sinto mais confiante. Pela noite saio com Omar e um grupo de amigos deste até que pelas 01H00 encontro-me com Joao Faustino. Depois de termos trabalhado juntos por 3 meses no Soyo-Angola em 2010 encontramo-nos agora numa parte oposta do globo – Oaxaca – México e ficamos no mesmo host hospedados. Entretanto chegara a casa de Omar outra Couchsurfer, Jana de Alemanha com descedencia Coreana que viajava há cerca de 5 meses planeando o regresso para o final do ano.

No Sábado somos os 3 convidados de Omar para uma festa de aniversário de um dos seus amigos, Juan que completava 35 anos. Éramos cerca de 50 convidados no ginásio de Pilates Juan, o ambiente foi único e super descontraído, DJ convidado, comida e bebida á descricao, pessoas super simpáticas e mulheres muito atraentes…Passei provablemente um dos melhores aniversários da minha vida…tendo o Mezcal ajudado bastante…já fazia algumas semanas que nao bebia tanto ehehhe…o SIGA dancarino  veio ao de cima, tendo chegado ao ponto de ensinar os locais a dancar Samba, coisa que jamais eu soube dancar…a música “Ai se eu te pego..aí voce me mata” é um autentico vírus por todos os locais que tenho passado.

 De 06-02-2012 a12-02-2012 – Puerto Escondido – Oaxaca

Eu e Faustino apanhamos o autocarro para Puerto Escondido, também conhecido como “Mexican Pipeline” estando entre os 10 melhores spots Mundo .(http://www.puertoescondidoinfo.com/pesurf.html)

Chegamos ás 04h30 da manha e ambos já ressacávamos por praia, mar e tudo o que essa atmosfera envolve. Calcao, chinelos e tronco nú foi a minha idumentária durante toda a semana.

Adormecemos na praia até ás 08H00. Encontramos um Hostel perfeito em frente ao mar –  Talhokan, pelo preco irrisorio de 4,11 € por dia no dormitório. Inicio as minhas aulas de Surf, com o instructor Julio e Hector, provablemente os melhores instrutores de sempre..fantástico a sua pontualidade, dedicacao e conhecimento das correntes e das ondas. Depois de nas6 a7 primeiras vezes nao ter conseguido me por de pe na prancha, tomo-lhe o jeito e apanho 5 ondas seguidas. A sensacao é única na minha vida…, eu, o mar, o sol..a sinergia perfeita e a minha energia ideal.

Adoro estar sentado na prancha esperando a onda perfeita onde o que me rodeia apenas é a imensidao do mar, outros surfistas , peixes e algumas aves que de quando em vez se aproximam. Estamos na Praia da Ponta..praia ideal para iniciantes e intermédios, Zicatela, a mecca do México, é mesmo para surfistas experientes devido á forca e rapidez das ondas. Adoro a resposta dos instrutores quando lhes pergunto da razao de terem comecado  a fazer surf, ao que me responderam “ o que mais poderiamos fazer no nosso quintal”…exprimindo bem a proximidade e ligacao que tinham com o mar.

Vida mais relaxada é impossível, surf de manha, visitas a outras cidades vizinhas pela tarde (Mazunte, Carizallillo, Zipolite), e regresso pela tarde onde todos os dias o pessoal do hostel contempla junto o magnifico por do sol..o pessoal Chileno, Mexicano, Australiano e Sueco que conheco no Hostel…é de uma descontraccao absoluta… sendo que na maioria daz vezes ninguém sabe que dia é nem que horas sao…isto sim é relax absoluto.

Categories: Uncategorized, Viagem 2012 | 4 Comentários

San Cristobal de Las Casas – 23 a 27 de Janeiro de 2012

23-01-2012

Cerca de 14 horas de autocarro depois, chego finalmente á cidade mágica de San Cristobal de Las Casas. Uma cidade situada num espantoso vale rodeada de uma floresta de pinheiros e de uma dúzia de povos Tzotil e Tzeltel (língua Maya que se fala maioritariamente na regiao das Chiapas). Vagueio-me pelas ruas onde os locais usam ainda vestes próprias e únicas feitas de pele de ovelha. O clima na cidade é em norma temperado, fazendo um pouco de frio de manha mas chega normalmente aos 23-25 graus de tarde. Como nao tive tempo de pedir Couch dirigo-me á pousada Ganecha que cativou a minha atencao por incluir aulas de Yoga e pequeno-almoco, apenas por 110 pesos(7€). Pela tarde faco a minha introducao ao Yoga, onde constato que o fulcro de tudo é a respiracao nasal. Sinto-me leve depois da aula, limpo, com energia redobrada. Pelas 19H30 encontro-me com a minha host do dia seguinte, Mandy de Chicago, US, vive há 3 anos na cidade e nem sequer pensa em regressar. Tem o seu próprio negócio de Internet e de SEO (Optimizador de Sites) o que lhe gera fundos suficientes para se manter e viver na cidade. Por norma o pessoal local ganha cerca de 5 € diarios, 150 € mes, por isso com um rendimento mensal de 400 € consegue-se ter uma vida bastante agradável.

24-01-2012

Acordo pelas 08H00 da manha e saio da pousada e encontro-me com a Mandy, onde iria passar os próximos días. Decidimos ir juntos a San Juan Chamula, uma vila a 7 km, com 3000 habitantes, onde todos sao Tzotil, sendo bastante conhecida pelas suas práticas religiosas únicas, tendo igualmente conservado os costumes e culturas pre-hispanicas.

Tenho o prazer de assistir ao vivo a uma dessas práticas, entro no templo de San Juan e observo estupefacto ao meu redor. Nao existem cadeiras nem bancos, vejo velas acesas pelo chao, rosmaninho espalhado e oico canticos e rituais que jamais tinha testemunhado. Sento-me sobre o rosmaninho e impávido fecho os olhos e sinto o meu corpo e espírito a viajar para outra dimensao, outro mundo. Do meu lado direito algumas criancas observam-me curiosas, esboco um sorriso para os mesmos. Magia aconteceu neste espaco de culto. Regresso com a Mandy e passamos pelo mercado local, as verduras e frutas tem cores de pura frescura, toda a desorganizacao organizada dos vendedores ambulantes deixa-me igualmente surpreso.

25-01-2012

Esta manha estava destinada a ir conhecer um dos pontos mais importantes desta regiao, o Canhao do Sumidero. Trata-se de uma falha geológica com aproximadamente 12 milhoes de anos, como muros que chegam a atingir cerca de 1300 m de altura e que se levantam sobre o rio Grijalava. Por sua singular e beleza icónica, foi nomeado como o único representante do México para as 7 maravilhas naturais do mundo.

Tenho a oportunidade de observar alguns animais selvagens tais como um crocodilo e uma iguana amarela. É de facto uma paisagem natural impressionante pela sua imponencia e beleza.

Chego pelo inicio da tarde e encontro-me com Mandy no sítio do costume, Wine bar, onde já comeco a conhecer alguns dos locais e com o sol ainda a espreitar os últimos raios de sol, juntos bebemos um copo de tinto. De seguida, vamos juntos a ….aulas de salsa..sim o pesudo do Siga quer mesmo aprender ehehhe. Num Bar de uma das avenidas principais existem aulas de salsa todos os días pelo preco de ..35 pesos( 2,5 €)., os passos principais depois de alguma insistencia e treino chego lá, depois as voltas e semi-voltas..uiiii, aí já se torna mais complicado, no entanto, a experiencia é bastante agradável e quero repetir, tudo requer treino, ninguém nasce ensinado.

Conforme já tinha prometido hoje cozinho um prato típico portugues para a Mandy, eu estava tanto com desejo também, umas….ervilhas com ovos, apenas o chourico nao era o melhor, mas deliciei-me com esta iguaria e a Mandy gostou também, confirmado pelo prato limpo.

26-01-2012 e 27-01-2012

Vagueio-me pela cidade e perco-me nas ruas, onde este povo indígena é afável, simpático, humilde e sempre com um sorriso e um buenos días para te cumprimentar. Ando com a cabeca em agua depois de numa pura conversa informal com a Mandy e Dave(UK) ter tido conhecimento que o negócio de Scooters e Bicicletas está para venda, pois o dono actual , Adrian(Suico) pretende ir para a Europa ter com a sua familia por motivos de saúde. Vejo um potencial imenso no negócio, a localizacao é a melhor possível, concorrencia nao existe, presenca no Lonely Planet, e verifico que existem mais de 50 pousadas na cidade e nao vejo esse trabalho de marketing e RP devidamente feito. O Adrian parece-me super honesto e sendo suico, pouco ou nada foge do que me apresenta, vejo os números no computador, levo inclusive uma copia do ficheiro para casa para uma melhor análise.

Uma parte de mim diz para ficar, e aproveitar esta oportunidade única de ter o meu próprio negócio, nesta cidade sinto-me em casa, já comeco a conhecer muita gente quando me deambulo pelas ruas, tenho a nocao de que os números nao me farao milionário, dá para viver e com trabalho e acreditando no projecto sei que posso fácilmente duplica-los. A única coisa que me faz ainda pensar é a distancia até á Praia (3 horas de carro) e o timing, visto que estou mesmo a iniciar a minha viagem e ainda nao me cansei…Tudo é possível, fiquei de dar uma resposta até Domingo..vamos ver..

Decido ir a Zinacatán, uma pequena vila conhecida como o Alto das Chiapas, com cerca de 30.000 habitantes em que 98% sao Tsotil. Os homens usam uma veste de algodao de cores roxas e azuladas, as mulheres uma blusa feita á mao e bordada á máquina com motivos florais. Passo no mercado e sou um dos poucos turistas que ainda deambula pela área, tenho paz e tempo para decidir o que hei-de fazer, ficar e empenhar-me num prohecto ja alicercado até nos manuais de Lonely Planet, ou continuar a viagem e esperar pelo timing certo…certezas tenho, o regresso a San Cristobal é inevitável…a atmosfera, o povo, a cultura…sao algo que jamais irei esquecer..

Categories: Uncategorized, Viagem 2012 | 4 Comentários

De Cancun a Mérida…15 a 22 de Janeiro 2012

15-01-2012

Depois de uma viagem de 10,5 h de Bruxelas para Varadero e depois de Varadero para Cuba mais 1 hora, chego finalmente ao México. Apanho o autocarro da ADO  no aeroporto e dirigo-me para a estacao central de cancun onde o meu CS Host me espera. Com um sorriso cumprimentamo-nos e com  um aperto de mao caloroso e um “bienvenido a méxico Ricardo” finalizamos as apresentacoes. Chego esfomeado, vamos para um local típico ao ar livre comer..uns tacos..o que mais poderia ser?? Deliciosos por sinal. Depois apanhamos um táxi depois de perguntarmos a 3 o preco, regra no méxico, sempre perguntar o preco antes de ir para o destino. Barato, 45 pesos para fazer cerca de 40 km,  € 4, na europa quanto seria??Cerca de 40 mintutos depois chego a casa do José, uma casa bastante humilde, com 4 gatos, 2 colchoes no chao, um no quarto outra na sala, uma casa de banho com um fio de água fría mínimo num enorme bairro social. Mas que importa isso??? A boa vontade do José isso sim é importante para mim.

Este slideshow necessita de JavaScript.

16-01-2012

As 06h00 da manha levanto-me, nao sei se devido ao jetlag ou aos raios de sol a bater-me nos olhos. O josé dorme, eu tomo um banho e saio, ansioso de descobrir o bairro. Numa das casas do mesmo, sinto o odor a pao, inclino-me e vejo na janela pao e bolos acabadinhos de ser feitos, pergunto ao sr. se posso comprar, responde-me afirmativamente e delicio-me com esta iguaria gastronómica acabada de sair do forno e vendida no pára-peito da janela ehhe.Vagueio-me pelo restante bairro e constato que em muitas casas e em muitas das janelas se vende algo, café, leite, mini-mercado, talho,…Gostei…assim vejo Cancun na sua essência local e nao na de turismo de massas que é igual aqui como em qualquer local paradísiaco do mundo

Pelas 10H00 vou para o Centro de Cancun com o josé encontrar-me com outro Couchsurfer, Daniel, Colombiano, mas com residência em Montreal-Canada. Tinha acabado de se despedir da empresa e decidiu de imediato sair e viajar por 1 semana. Tal como eu, está um pouco cansado da vida corporativista que nos envolve diariamente e que nem sempre conseguimos fugir dela…mas por vezes a necessidade de fuga a esse estilo de vida..é mais forte. Passamos uma tarde na Praia das Tortugas. Ao final do dia  e depois de inúmeras gargalhadas e historias partilhadas, combino eu e o Daniel organizar um mini-CS meeting improvisado.  Neste encontro fomos 9 pessoas, incluindo a Maria, russa de 26 anos que ja tinha hospedado o meu amigo dos tempos do Soyo – Faustino. Ja tinha decidido ficar com a Maria, pois no dia seguinte iria para Tulum visitar o sitio arqueológico deixado pela civilizacao Maya. Saimos do Bar e a Maria levou-me a conhecer alguns pontos da cidade por carro, parando num bairro chique de cancun onde nos encontraríamos com outra russa. Em casa, eu e a Maria conversamos bastante, no seu terraco fantástico, ao som de músicas merengues que o Daniel fazia questao de por. Na casa vivem 3 russas que també trabalham cá, tudo justificado pelo facto de existir 1 voo diario de Moscovo para Cancun, trazendo muitos turistas desta parte do globo .

17-01-2012

Sao 06h18 da manha, acordo de novo com os raios de sol invadindo as gretas das janelas, durmo num couch improvisado na sala da Maria, saimos por volta das 08h15 de sua casa, ela vai trabalhar na mesma direccao que eu pretendo ir e combinamos antes disso, irmos juntos a um cenote (rios subterraneos conectados entre si – considerados pelos Mayas com dádivas dos Deuses).Vamos primeiro ao Cenote Cristalino e depois ao Cenote jardím do Eden, perfeito e único, as cores da água sao resultado da luz do sol entrando por pequenas fendas, o que torna o lugar perfeito. A Maria comeca a trabalhar as 12h00, no entanto, ja tem no espirito e no corpo um banho nestes locais que transmitem uma energía sem par. Maria deixa-me na estrada a 20 km de Tulum, tento hitchhiking, mas o primeiro carro que pára é uma carrinha colectiva que me pede 25 pesos(2euros), decido entrar.

Tulum crê-se ter sido um importante porto durante o periodo 1200-1521. Foi das cidades mais antigas a ser abandonadas cerca de 75 anos depois da conquista espanhola. Venho de Tulum e páro na Playa Del Carmen…um autêntico paraíso. Penso em ficar, mas decido ir para a Cancun passar a mina ultima noite com o José e cumprir a promessa, cozinhar a spaguethi bolonhesa e que desta vez, seria para mais dois CouchSurfers de Barcelona que acabavam de chegar para ficar em casa do José.

18-01-2012

Acordo as 07h30 e viajo para Playa Del Carmen onde me encontro de novo com a Maria, o Antonito(Mexicano) e com outra amiga russa da maria. Como nao sabia onde ia ficar a Maria fala com um amigo russo(vová) que vive na cidade e trabalha como guía turístico e como desenhador para uma empresa russa. Com a Internet tudo é possivel, desde que o produto final do trabalho seja de qualidade, pode-se trabalhar em qualquer local do planeta com uma ligacao de Internet de boa qualidade. Fico na Praia com a Maria e o Vová, um portuga entre russos, num paraíso chamado Playa Del Carmen. Assistimos o por do sol juntos por volta das 17h45. Vamos para casa e a cozinha é minha hehe, de novo uma esparguete á SIGA delicia-nos e sacia-nos a fome. Conheco entretanto a Alejandra, colega de casa do Vová, mexicana, lindissima de Guadalajara que trabalha como instrutora e promotora de actividades de snorkeling. A sintonía foi imediata e perfeita, conversamos até tarde, rimos, partilhamos histórias da vida e a nossa enorme vontade em conhecer o mundo.

19-01-2012

Acordo pelas 07h00 da manha com os bons dias calorosos da Alejandra, planeio ir a Chichen Itzá, uma das 7 maravilhas do mundo, compro o bilhete e entro no autocarro, no entanto, numa das paragens decido sair, trata-se de Valladolid, apaixono-me de imediato e decido ficar. Valladolid e uma cidade colonial majestosa e com uma beleza única. Fico num Hostel recomendado pelo Lonely Planet, e pago 6 € com direito a internet e pequeno-almoco. Alugo uma bicileta e vou em direccao ao Cenote Dzitnup, a cerca de 7 km do Hostel. Fico atonito com tamanha beleza. Trata-se de um dos locais mais lindos que tenho a oportunidade de conhecer em toda a minha vida. Desco umas escadas e fico num local subterráneo, a luz dos sol entra por uma pequena fenda, a agua é cristalina e as cores únicas. As estalactites e estalagmites fazem do local pura obra de arte. Sinto uma energía envolvente muito forte e deito-me na agua por uns tempos disfrutando deste momento singular. Dirigo-me ao centro da cidade onde me sento na praca central e onde me sinto parte daquela harmonia e paz. Deito-me num dos bancos da praca e adormeco, a paz envolvente assim o incentivava.Apenas acordo com 2 policias a abordarem-me que nao o podía fazer ehhehe…

As 19h30 encontro-me com uma Couchsurfer de Los Angeles, Jackie, mulher enérgica, inteligente e com inúmeras historias de viagens para contar. Jantamos juntos e conversamos mais de 3 horas. Trabalha para o Facebook como Trainer e Developper e iria 3 meses para a India dentro de poucos dias. Dirijo-me para o Hostel onde me sento e bebo umas cervejas e como uns tacos com guacamole com os companheiros do dormitório, um sueco, um suico, uma grega, todos viajavam sos pela America Central e naturalmente as conversas recaem sobre o assunto e sobre as diferencas culturais de cada um dos nossos países.

20-01-2012

Chichen Itzá é o meu destino matinal, chego cedo para evitar o turismo de massas, conseguindo ter este sitio arqueológico quase em exclusivo para mim. Chichen Itzá é uma das 7 maravilhas do mundo, trata-se de  uma cidade arqueológica maya localizada no estado mexicano de Iucatã que funcionou como centro político e económico da civilização maya. Á entrada encontró o El Castillo, pirâmide que representa o calendário Maya em pedra e é famoso pelo movimiento ilusório de uma serpente nas escadas, visíveis aquando dos equinócios da Primavera e Verao. Da parte da tarde apanho o autocarro para Merida onde a minha host Eli me espera. Sigo as suas indicacoes, apanho o autocarro colectivo em direccao a Chuburná 21 e passados 40 minutos chego e avisto uma sra. á porta de casa, era a Mae de Eli, que me recebeu com um sorriso e com um “bienvenido a nuestra casa” . Conversamos durante uns minutos e fico maravilhado com a boa vontade e simpatia desta Sra. de 67 anos que conta com inumeras historias para partilhar e que recebe-me como se já fosse d família. Entretanto chega o seu marido e tambem de uma forma super afavel e simpatica me da as boas vindas. Ambos aposentados, tendo trabalhado toda a sua vida como profesores primários em aldeias de base Maya, onde para além do ensino regular tinham que ensinar espanhol, pois estes apenas falavam a lingua Maya. Por fim conheco a Eli, ja tinhamos trocado umas mensagens pelo site do couchsurfing e logo vi que nos iríamos dar bem, essa minha suposicao confirmou-se. Damos um passeio de noite com o seu filho JuanFran pela cidade e pela primeira vez na minha vida durmo num hamoc (rede). A experiencia foi excelente, acordei bem mais tarde que o normal, o corpo gostou certamente.

21-01-2012

Tomo o pequeño-almoco preparado pela Eli e sua mae, fantástico, melancia, suco natural e tacos de queijo e feijoes..logo de manha..vai la vai. Vou de seguida para o Centro de Mérida onde me proponho explorar alguns pontos turísticos sugeridos pela Eli, sento-me na Plaza Grande e disfruto das cores, os odores, as pessoas. Almoco de novo no mesmo mercado de ontem, mercado Lucas de Galvez, onde me tinha deliciado com um mero panado, hoje optei por um Cocktail de camarao servido semi-frio num copo onde nós em Portugal denominamos de Galao..Gostei..

Depois de explorar a cidade, vou para a casa onde me encontro de novo com a Eli e sua familia, passamos algumas horas a conversar, o seu pai, é um autentico guía turístico, a sua bagagem da história Yucateca e Maya faz de mim estar horas infinitas a ouvi-lo com atencao.

Por volta das 20H00 saio com a Eli para o centro da cidade e fico impressionado com a quantidade de manifestacoes culturais que existem no mesmo espaco, jazz, danca moderna, teatro de rua, danca local, Mérida é mesmo uma cidade cultural por excelencia.

Mais tarde vamos para um bar Cubano, dancar salsa, conforme tinhamos combinado ela iria me ensinar alguns passos…Pezudo como eu sou…ehhe, consegui de uma forma muito ligeira apanhar o ritmo, tendo aquando do merengue sido o ponto alto da noite..penso que com mais uns dias de prática irei lá.. opiniao também corroborada por Eli…esta viagem vai ter que me ensinar a dancar a Salsa..

22-01-2012

Durmo uma vez mais na rede da Eli…, acordamos cedo e vou tomar o pequeno almoco a casa de sua irma, ao domingo é tradicao comer tacos com carne de porco e feijoes ao pequeno almoco, lá teve de ser ehhe, ..o meu estomago para ja nao se tem queixado muito.. De seguida vamos ver o sitio arqueológico de Dzibtaltun, eu Eli o seu Pai, o filho e duas primas. De novo tive um guía turístico privado e gratuito, fantástico a quantidade de informacao que tive a oportunidade de receber deste Sr. com 70 anos. De seguida vamos um pouco á Praia perto de progresso, Chelem, as aguas nao sao tao azuis como as Caraíbas, mas a temperatura e a cor verde azulada obriga-me a mais uns mergulhos hehehe.

Chegamos a casa por volta das 15h00 e almoco uma carne de porco feito pela mae de Eli e bebo uma bebida típica de arroz…

Entretanto decido ir para o centro da cidade, despeco-me da Eli e da sua familia emocionado e sinto uma reciprocidade contagiante, a viagem continua. No centro da cidade assisto a um concerto de música yucateca e danco um pouco mesmo com as duas mochilas as costas. Tinha decidido ir para Palenque ás 22h00 no entanto, e para nao variar muito, chego ao terminal e pergunto qual o próximo autocarro a sair, seria dentro de 20 minutos para San Cristobal de Las casas, cerca de 14 horas de viagem, decido entrar e seguir caminho, alterando assim mais uma vez o planeado.

Categories: Uncategorized, Viagem 2012 | 7 Comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.